01 December 2008

Suricata suricatta



Apresento-vos o Suricata - a tal criatura que já me ouviram falar por algumas vezes e pela qual tenho um enorme fascínio. Apesar de ser Leoa, se fosse verdadeiramente um animal seria esta maluca - basta ver o vídeo: o pêlo na venta, os grunhidos, o olhar perspicaz, atento e ameaçador (ih ih ih).

O vídeo em anexo é apenas um extracto de uma longa série de programas dedicados à criatura (Meerkat Manor) transmitidos no Animals Planet, Discovery Channel.

O suricata ou suricato (de suaíli, "Cat Rock") é um pequeno mamífero, membro da família do mangusto e habita os deserto do Kalahari e do Namib, em África.

O adulto pesa cerca de um quilograma e mede cerca de 50 centímetros de comprimento, dos quais 25 são até a cauda.

É um animal diurno, de costumes sociais e ecavadores. O tamanho das colónias pode chegar a 40 indivíduos.


O suricata é carnívoro e alimenta-se principalmente de insectos, aranhas e outros pequenos mamíferos.


As suricatas tendem a ser simpáticas criaturas, por isso na sua zona de origem não é incomum o uso doméstico como animais de estimação. No Ocidente não são considerados adequados como animais de estimação, porque o seu comportamento é extremamente destrutivo. Estes animais podem transmitir a raiva, por isso, em África têm sido perseguidos, mas não o seu número tem vindo a diminuir acentuadamente, para estar em perigo de extinção.

5 comments:

Loura Migratoria said...

timon!!
:)

Sabias que suricata é também um doce tradicional ?ah pois é!

cultura amores! cultura!

Nunette said...

Sericaia, amor, sericaia...

Sericaia ou Sericá

Este é um doce típico de Elvas onde é servido com as deliciosas ameixas.

Ingredientes:

15 gemas de ovos
15 claras de ovos
600 gr açúcar
1 lt leite
150 gr farinha s/fermento
1 pau de canela
1 casca de limão
canela moída q.b.
Confecção:

Bater as gemas com o açúcar até obter um creme fofo.
Dissolva á parte 150gr de farinha com o leite previamente fervido com o pau de canela e casca de limão, junte ao leite o creme de gemas e açúcar mexendo sempre e bem.
Leve a lume brando a engrossar mexendo para não pegar, deixe engrossar até ver o fundo do tacho.
Bata as claras em castelo juntando-as ao preparado acima referido com cuidado; deixe esfriar um pouco.
Num prato de barro deite o doce em porções desencontradas, polvilhe com canela em pó, leve a coser em forno muito quente; ao coser o doce deverá abrir gretas .

Luizinha said...

Cruzes

Que a outra agora deu p'cu_linária.
Oxalá pode ser que coma alguma coisa

Luizinha

Loura Migratoria said...

LOLLL vais... brigadissima nunette, isso e k é uma verdadeira pasteleira de doces conventuais

Loura Migratoria said...

LOLLL vais... brigadissima nunette, isso e k é uma verdadeira pasteleira de doces conventuais