21 June 2009

Vida tão estranha

São de veludo as palavras
Daquele que finge que ama
Ao desengano levo a vida
A sorte a mim já não me chama

Vida tão só
Vida tão estranha
Meu coração tão mal tratado
Já nem chorar me traz consolo
Resta-me só o triste fado

A gente vive na mentira
Já nem dá conta do que sente
Antes sozinha toda a vida
Que ter um coração que mente



4 comments:

Noiva SubUrbana said...

Ai, mulher, o que é isto? Até me assustei.

Nunette said...

Xiu. Já estavas com os copos :-p Rodrigo Leão, novo álbum, e BSO do Equador.

Pipette said...

Eu devo dizer que adorei a música, que me fez lembrar Edith Piaf num cruzamento com fado, o que achei muito interessante, bonito. Agora o que não gostei, é que tenhas pespegado a letra, armada em depressivó(de depressiva mesmo)-erótica(reminiscente do amigo do "Equador"). Estás a precisar de duas chapadas :P

Nunette said...

Nada disso :-)